newsletter

Cadastre-se e receba as últimas dicas dos especialistas.






Os 4 M da reabertura

Categoria: Sem categoria

Muitos lugares do Brasil estão ensaiando uma reabertura. Mas é preciso ter a consciência que muitas PMEs enfrentarão dificuldades na hora de voltar a operar. É claro que as grandes empresas também sofrem os efeitos da pandemia, mas as pequenas e médias não costumam ter um caixa robusto e, em muitos casos, sua existência depende da sua operação. É com a receita mensal que elas conseguem custear a manutenção do negócio. Apesar do cenário, no início de 2019, o nosso país registrava mais de 20 milhões de empreendimentos. Deles, 70% são considerados pequenos e sozinhos respondem por 27% do nosso Produto Interno Bruto (segundo dados do SEBRAE).

O momento atual (quer a gente concorde ou não) é de pensar na reabertura. Por isso, os donos de PMEs precisam focar nos 4M para a gestão de crise. Como os gastos seguem constantes e os ganhos muitas vezes ainda não são um mistério é preciso pensar em estratégias para Modificar a sua empresa visando à Manutenção dela, além de Monitorar o mercado e as tendências para uma Metamorfose. Ficou confuso? Calma, vamos explicar cada um desses 4M.

Modificar:

As coisas mudaram. O mundo do lado de fora da sua casa não é mais o mesmo. Ele pode parecer igual, mas pode ter certeza que ele está diferente. Não existe tempo para perder, os dias, agora, precisam ser usados para readaptar a sua empresa considerando o cenário atual. E o primeiro passo aqui é o planejamento, o segundo a comunicação.

Tudo começa com planejamento. Reúna a sua equipe (mesmo que virtualmente) e faça um brainstorming pensando em como remodelar o seu modelo de negócio para as expectativas e segurança do seu público e seus colaboradores. Poucas mudanças já surtem um efeito enorme. Flexibilizar o horário e saída dos funcionários para que eles evitem o horário do rush, é uma delas.

Muito se fala também sobre a fuga para o digital, mas nem todo varejista possui, sabe, ou quer atuar nessa área. Nesse caso, é necessário a noção que a loja lotada não é mais vista com positividade. Em vez de atrair mais clientes afastará. Alguns estabelecimentos desse segmento estão limitando a quantidade de clientes dentro da loja. Eles colocam no chão uma marcação que mostra o distanciamento que os clientes (que nem entraram no estabelecimento ainda) precisam ter uns dos outros para resguardá-los. Objetos comunitários como canetas, cadeiras, provadores, precisam ser constantemente higienizados. Existe ainda quem deseja recorrer para o atendimento por telefone, no qual o contato é feito totalmente por uma chamada, e depois o cliente só precisa passar, pagar e pegar o produto.

Os profissionais de Saúde que atendem por agendamento terão que levar a sério o horário marcado. Os dias de deixar vários pacientes na sala de espera acabaram. Ideal é pensar na complexidade de cada tratamento e só permitir a entrada de quem será prontamente atendido.

Não importa como você modificará sua rotina, essa decisão cabe apenas aos empresários, mas cabe a você também o papel de informar detalhadamente e de maneira visível quais medidas estão sendo adotadas. Seja flexível, repense regras e políticas de trocas e cancelamentos, entenda que todos estão passando por dificuldade nesse momento. E não só os clientes, é claro, é necessário fazer todo um novo treinamento com a sua equipe para fazer valer essa modificação.

Monitorar

A máxima que diz que “todo empresário precisa se informar” nunca foi tão real. Com as coisas mudando muito rápido, o longo prazo ficou curto. É necessário monitorar tanto o que acontece do lado externo da sua empresa, quanto no interno. E até ficar de olho em como o seu setor está encontrando soluções fora do Brasil. Se você está lendo esse texto você já deu o primeiro passo para isso.

É necessário monitorar diferentes níveis como a satisfação dos seus clientes com as mudanças, a evolução das medidas adotadas, os números da doença, a saúde dos seus colaboradores e a saúde financeira da sua empresa.

Manutenção

Também cabe ao gestor a manutenção da sua marca e da sua empresa e isso passa obrigatoriamente pela sua equipe e sua família. No momento de instabilidade é difícil para qualquer profissional conseguir manter o foco, o que pode atrapalhar no desempenho. A gestão de pessoas é vital para sanar esse problema. Pense que ao sair na rua para trabalhar, o seu funcionário está se expondo aos perigos, como acidentes que podem acontecer no caminho. Em épocas de UTIs lotadas sofrer um acidente pode ter ainda mais complicações do que o normal.

Pense em saídas que ajudem a cuidar da manutenção da sua renda e dos seus. O Seguro de Vida Empresarial, por exemplo, é uma solução flexível que auxilia com os riscos e imprevistos. Porque garante coberturas e serviços de assistência para o empreendedor e seu staff em caso de acidentes, além de dar suporte a eles e ao espaço físico da sua empresa. Uma solução que deixa tudo que mais importa de forma mais fácil de se gerenciar.

Metamorfose  

Toda empresa precisará ser um pouco Raul: uma metamorfose ambulante. O que funcionou ontem pode não funcionar hoje, e o amanhã virou uma eterna interrogação. Por isso, não tenha medo de mudar (não seria “mudar”?). Lembre-se sempre que o longo prazo ficou curto, então planeje um dia após o outro. Utilize os 4M como um aliado do seu negócio.

Se você era um restaurante self-service, saiba que seu modelo ficará obsoleto por um tempo, então, já saia da quarentena com um novo modelo que atenda ao que o público espera. Não caia no erro de achar que o mundo lá fora é o mesmo. Aproveite o pouco tempo que falta antes de abrir para planejar estratégias. Trace o plano A, o B, o Z. Não desista do seu sonho, é ele que move o país.

Saia do casulo com essas novas ideias para o seu negócio continuar voando cada vez mais alto!

 

Curtiu este artigo? Clique na cartinha ao lado e inscreva-se para receber nossas newsletters com conteúdos exclusivos.

Solicite seu Seguro de Vida